Inimigos do Wi-Fi: 10 coisas que podem causar lentidão

Alguns fatores podem atrapalhar o Wi-Fi, impedindo que o roteador entregue todo o desempenho que se espera. De eletrônicos trabalhando na mesma faixa de frequência da rede até aparelhos desatualizados, há diversas possibilidades de resolver esse problema. Portanto, antes de considerar a compra de um novo equipamento, é interessante tomar algumas medidas com relação à conexão wireless.

Para isso, existem algumas soluções simples, mas é importante ressaltar que, caso o usuário não sinta segurança com relação ao software do roteador, vale recorrer a um especialista no assunto ou ao suporte do seu provedor.

Resultado de imagem para router

1. Posição do roteador

Modems e roteadores podem não ser muito interessantes do ponto de vista estético, mas esconder demais esses dispositivos pode comprometer o desempenho da rede. Para que o sinal seja propagado de uma maneira mais eficiente, procure posicionar os seus pontos de acesso em locais elevados, de forma que o sinal se espalhe, evitando a maior parte das paredes. Isso deve eliminar as áreas de sombra e expandir um pouco o alcance do sinal pela casa ou escritório.

2. Cabos antigos

Se você utiliza um roteador ligado ao modem de sua operadora, é interessante verificar a qualidade do cabo de rede que conecta os dispositivos. Um cabo inadequado pode fazer com que o roteador não consiga explorar todo o potencial de sua banda contratada.

Outro fator que pode influenciar é a conexão de cabos telefônicos a modems ADSL. Em instalações mais antigas, esses cabos podem apresentar falhas decorrentes ao tempo e à deterioração comum, o que certamente vai impactar no desempenho da rede.

Além de utilizar bons cabos, realize as conexões da maneira correta para configurar sua rede — Foto: Reprodução/Thiago Rocha

3. Inimigos do Wi-Fi

Alguns itens podem comprometer e muito o desempenho de roteadores e modems. Por isso, antes de posicionar seu equipamento, observe se no caminho não há um aquário, espelho ou até uma tela LCD.

Além desses, tubulações e equipamentos que emitem sinais de rádio, além de estruturas metálicas e paredes muito espessas podem causar interferências, levando à instabilidade do sinal. Desse modo, procure ficar atendo ao local em que seu roteador está posicionado, evitando colocá-lo próximo a um desses itens.

4. Modem obsoleto

Quem contratou um serviço de internet há algum tempo e desde então nunca pensou em substituir o modem, pode estar sofrendo com o equipamento. Normalmente, as empresas de comunicação enviam um equipamento básico para os consumidores, de modo que, para ter uma rede Wi-Fi de qualidade, é necessário investir em um equipamento auxiliar. Pensando nisso, a Fit Telecom começou a oferecer roteadores Turbo, para deixar sua conexão ainda mais eficiente. Saiba mais em nosso site: fittelecom.com.br.

5. Rede muito povoada

Observar o número de dispositivos conectados é muito importante para entender possíveis problemas em sua rede. Quanto mais dispositivos conectados, mais exigido será o roteador. Logo, um equipamento de entrada pode ter dificuldade para manter a rede estável com um número maior de conexões.

A Internet também perde em desempenho à medida que novos dispositivos se conectam. Isso porque, a cada novo usuário na rede, o volume total é dividido pelos aparelhos ligados ao Wi-Fi. Portanto, conexões mais lentas podem sofrer sobrecarga de downloads na banda.

Investir em roteadores mais robustos pode ser uma solução, quando há muitos dispositivos

6. Configurações da rede

Configurar corretamente seu equipamento é parte fundamental para manter sua rede em pleno funcionamento. Além de informações como frequências e canais, estabelecer parâmetros de segurança elevados podem fazer com que você tenha um ganho em desempenho. Utilizar senhas seguras e verificar os dispositivos conectados na interface do roteador também são práticas que ajudam a prevenir a perda de desempenho da rede com acessos indesejados.

7. Frequência subutilizada

Atualmente, grande parte dos roteadores utiliza as frequências de 2,4 e 5 GHz para transmitir dados. Alguns equipamentos trabalham em apenas uma frequência, de 2,4 GHz, mas em modelos dual band é interessante distribuir os dispositivos conectados para não sobrecarregar umas das faixas de transmissão.

A faixa dos 5 GHz tem suporte para um número maior de dispositivos conectados, mas muitos equipamentos ainda são incompatíveis com esse recurso. Mas, caso isso seja possível, a distribuição dos equipamentos entre as frequências pode melhorar a qualidade da rede, assim como permitir uma conexão mais veloz entre os dispositivos.

Roteadores dual band oferecem maior desempenho e possibilidade de conectar mais dispositivos — Foto: Divulgação/TP-Link
Roteadores dual band oferecem maior desempenho e possibilidade de conectar mais dispositivos

8. Utilização incorreta dos canais

Os canais também são um ponto a ser observado. Se você mora em um condomínio, por exemplo, onde seus vizinhos também possuem roteadores ligados, um grande número de equipamentos utilizando um mesmo canal para transmissão pode comprometer o desempenho das redes.

Alguns dispositivos mais modernos mudam os canais de forma automática, de acordo com a demanda de cada um deles. Se não for o seu caso, verifique o manual do roteador e procure nas configurações o gerenciamento de canais para saber em qual deles sua rede está operando. Existem aplicativos para celular que podem exibir essas informações de uma maneira mais simples, o que deve facilitar a vida de usuários menos experientes.

9. Repetidores

Quanto mais dispositivos conectados, menor é o desempenho da rede. Dessa forma, utilizar um repetidor pode expandir o sinal, mas também comprometer a velocidade de conexão. Além disso, é mais um aparelho a emitir sinais que podem criar interferências na rede.

Outro ponto importante, é que, como os repetidores criam redes paralelas, é preciso sempre observar a qual ponto da rede você está conectado. Isso porque, mesmo utilizando repetidores próximos, é possível que seus equipamentos estejam conectados a um ponto mais afastado, com uma menor intensidade de sinal.

10. Software desatualizado

Qual foi a última vez que você atualizou o firmware de seu roteador? Assim como outros equipamentos, os dispositivos de rede recebem atualizações que visam corrigir falhas em seu funcionamento e evitar vulnerabilidades.

Ler os manuais ou até mesmo checar o site das fabricantes vez ou outra é uma das formas de descobrir qual a versão mais atualizada do software do equipamento. O procedimento para atualizar pode variar de acordo com o aparelho, sendo necessário conferir as orientações de cada marca para realizar o update.

Fonte: https://www.techtudo.com.br/listas/2019/06/dez-coisas-que-podem-estar-deixando-seu-wi-fi-mais-lento.ghtml